Postagens populares

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Os Homens Que Não Amavam As Mulheres


Uaaal! Podem me chamar de guerreira porque eu nunca demorei tanto para ler um livro como eu demorei a ler este. Não porque ele é grande (mesmo que ele seja) ou porque ele é chato (porque ele não é), mas porque é um livro para ser degustado, apreciado, digerido lentamente. Mesmo sendo o tipo de livro que te prende e te faça querer saber o que vem em seguida, é um livro que faz o leitor economizar páginas. Quando você percebe que o final está chegando, você dá um pulo e grita “Como assim já está chegando o final?”.

Foi assim comigo. Eu amei ler este livro pelo simples fato de ser uma trama tão bem estruturada e tão bem tecida que você se pergunta como o escritor pôde fazer isso. Simplesmente não há falhas nem buracos no enredo. Stieg Larsson, resumindo, deu um show em Os Homens que Não Amavam as Mulheres.

A narrativa sueca tem como personagem principal Mikael Blomkvist, um jornalista econômico e editor-chefe de uma revista, Millenium, e que tem um caso com uma antiga amiga dos tempos de faculdade e chefe da revista em que ele trabalha (que é casada e o maridão sabe que ela tem um amante, diga-se de passagem) e acaba de cair em uma armadilha jornalística. Mikael, na tentativa de desmascarar um grande empresário com a ficha suja, publica informações falsas e é condenado a três meses de prisão pelo delito.

É nesse momento de declínio da revista em que nosso herói é convidado para desvendar um grande mistério que ronda uma família legendária, os Vanger, há cerca de 40 anos: o caso Harriet Vanger, a garota prodígio desaparecida misteriosamente.

Mikael lança-se nessa investigação totalmente descrente e indisposto. Porém juntando o fato de que precisava se afastar da revista e da imprensa de Estolcomo, aceita o emprego e acaba se envolvendo nesse mistério que mexe com os nervos do leitor.

Em meio a tantas investigações e um aparente avanço nas pesquisas, Mikael conhece o melhor hacker da Suécia, Lisbeth Salander, uma garota de vinte e quatro anos completamente as avessas de uma vida social normal. A partir desse ponto, enrolam-se todos os temas do livro, como violência sexual, crimes nazistas e contra mulheres, invasão a privacidade por meios de programas e crimes de colarinho branco.

A série Millenium é composta por três livros em que o primeiro é Os Homens Que Não Amavam As Mulheres e os seguintes são A Menina Que Brincava Com Fogo e A Rainha Do Castelo De Ar, os quais eu espero ler e comentar em breve.

Enfim, Os Homens Que Não Amavam As Mulheres é um livro surpreendente com um enredo envolvente e repleto de mistério e cenas chocantes (um trecho do livro, particularmente me fez tremer pelos 30 minutos seguintes a minha leitura e me deu náuseas terríveis; só consegui retomar a leitura na semana seguinte.), mesmo assim é uma história estupenda. Então,seguindo o objetivo do Folhinhas de Papel e sob a condição de ainda ter crédito com vocês e , eu recomendo que leiam esse livro!

PS 1: Existe o filme, sueco, deste livro e está para ser lançada a versão norte-americana com o ator Daniel Craig no papel de Mikael Blomkvist.
PS 2: Eu poderia fazer uma resenha bem maior e mais detalhada porque o livro é riquíssimo em tramas e me permite falar muito sobre ele, mas eu encarrego vocês de fazerem a leitura e de se encantarem por Stieg Larsson, querido escritor e jornalista sueco que faleceu sem se deslumbrar com o sucesso de sua saga, como eu me encantei.

terça-feira, 14 de junho de 2011

FMF4 & Minha Vida Fora de Série

Oi pessoaaaal!...Quanto tempo faz que não estabeleço contato, né?! Dessa vez a passagem é rápida e informativa. Acho que muita gente já sabe que a escritora Paula Pimenta, autora da série fazendo meu filme, além de continuar com o quarto livro da sua saga (que eu inclusive já comentei no primeiro post do meu blog), na qual Fani é a personagem principal, vai também lançar uma nova série.

A série se chama "Minha Vida Fora de Série"! Paula Pimenta está fazendo o maior mistério sobre a personagem principal dessa série, mas ela já deu umas dicas no vídeo que segue esse post. A protagonista do novo livro será uma as amigas da Fani (e eu realmente acho que é a Priscila!!) e vai ser lançado em setembro deste ano! Dêem uma olhada nesse vídeo em que Paula Pimenta fala um pouco sobre a nova saga e lê o prólogo do livro.

http://www.youtube.com/watch?v=nBkz8w4ivCs&feature=player_embedded
(Desculpem por não postar o vídeo! Tentei carregar mas não consegui! =(( mas o link está aí..)

Agora, deixando um pouco de lado a nova série, falemos da antiga e bem sucedida saga de Estefânia, Fazendo meu filme. Em uma breve recapitulação do que ocorreu no terceiro livro, Fani decide fazer sua faculdade de Cinema nos EUA e deixa o Brasil e suas lembranças de sua vida em Belo Horizonte para trás. O novo livro deve mostrar como será a história de uma Fani universitária, desimpedida e mais madura depois de uma decepção amorosa daquelas!!

Estou mega ansiosa para ler esse livro!! E fiquem ligados porque FMF4 será lançado em novembro deste ano. Agora é contagem regressiva!! =D

domingo, 15 de maio de 2011

O Menino do Pijama Listrado


Olá, pessoal! Já faz um tempão que eu não escrevo então estou cheia de novidades! Quero, antes de tudo, desejar sucesso a uma amiga minha que decidiu seguir essa vida de blogueira, tomou coragem e fez um blog! Com vocês, Alice Ibiapina e seu blog “Alice no País dos Livros” ( http://paisdoslivros.blogspot.com )!
Mas mudando de assunto, li um livro que quero muito comentar. Escrito por John Boyne, “O Menino do Pijama Listrado” é a emocionante história do filho de um oficial nazista que assume um cargo em um campo de concentração. Bruno, o filho do comandante, era muito apegado aos seus amigos, sua casa e sua vida em Berlim, sua cidade natal, e como qualquer garoto que deixa pra trás tudo o que mais gosta e é obrigado a ficar em casa sem nada pra fazer, Bruno sente-se sozinho e entediado.
O garoto resolve, então explorar! (Isso é que é tédio, diga-se de passagem...) E é no meio de uma exploração muito produtiva que ele encontra Shmuel, um garoto que vive do outro lado de uma cerca e que sempre veste um pijama listrado.
Separados por uma cerca eletrificada, é assim que começa a amizade do filho do oficial alemão e do menino judeu.
"O menino do pijama listrado" é uma história linda sobre amizade e sobre os horrores do Holocausto. É um livro bem fininho e bem interessante, portanto, eu recomendo²³.
E esperem por mais posts em breve, porque minha pilha de livros só aumenta...
Comentem o que quiserem e sigam o blog se gostarem...
Beijos! Até breve...

domingo, 24 de abril de 2011

Nick e Norah : Uma Noite de Amor e Música


Pessoal, esse é um blog feito para comentar livros que eu aprovo e que tem histórias com as quais vale a pena gastar tempo. Mas já me sinto no direito de alertá-los aos livros que são uma total perda de tempo e que você só lê se quiser realmente morrer de rir/chorar/quebrar sua casa de tão chato que é o livro.Antes de tudo, quero me desculpar com minhas amigas blogueiras Eloá e Carol que me animaram tanto para ler este livro. A elas, minhas sinceras desculpas. Então, lá vai.
É impossível publicar spoilers desse livro. Visto que Nick e Norah é um livro sem nenhuma surpresa ou algo parecido, não há como fazer uma grande resenha sobre sua história. Mas posso tentar elaborar uma resenha grande. Vocês querem um resumo? Ok. Nick e Norah: uma Noite de Amor e Música, Badalação, Vômitos e “Pegação” = noite em um show punk de dois adolescentes que não se conhecem. Fim de papo.
Recadinho para Rachel Cohn e David Levithan: SUPRISE ME.
Admito que antes de ler este livro, criei um milhão de expectativas, afinal ele foi realmente muito bem recomendado. Agora, queridos e queridas que estão lendo este blog, eu tenho uma recomendação para fazer: se vocês estão em busca de um livro confuso, com vocabulário restrito a uma determinada tribo (os punks, no caso) e que só dura uma noite, então “Boa Sorte”! Leiam Nick e Norah.
Confuso porque os personagens falam de uns trinta assuntos completamente distintos em uma única frase. O leitor, digo em meu nome e em nome da minha modesta e minúscula experiência com livros (afinal, não sou nenhuma editora ou expert), perde-se no meio de tanto assunto do tipo “Nada a Ver” e acaba tendo que ler inúmeras vezes o mesmo parágrafo para que ele faça o mínimo sentido. Foi assim comigo. Com muita fé em Deus, não será assim com vocês.
O vocabulário é inacessível porque é típico de pessoas que conhecem bem as músicas e as bandas norte-americanas. É claro que muitos artistas mencionados no livro são mundialmente conhecidos, como Green Day, Alanis Morissette e The Beatles. Mas, pelas chagas de Cristo, quem é Where’s Fluffy? ? (Depois de uma pesquisa ao Google verifiquei que essa banda nem existe, mas tudo bem...). O que acontece é que eu realmente me revolto quando leio livros que usam termos que eu desconheço (e não tenho o interesse de conhecê-los)ou que eu conheço, mas sei que alguém que vai ler não os conhece (e também não tem o interesse de conhecê-los). Alguém ainda está lendo esta resenha?
Por último, o livro conta uma história que dura uma madrugada - como sugere o título Nick e Norah : Uma Noite de Amor e Música - e depois toda a vida, o namoro, as dúvidas, o amor e a música de Nick e Norah ficam em suspenso. Não aprovo livros que acabam e te deixam esperando um final decente.
Aliás, não vou nem comentar como termina este livro porque se eu começar a pensar no final desta obra, meu notebook correrá um grave risco de ser despedaçado. Eu vou beber uma água e respirar fundo. UFAA!
Então, amigos, desculpem-me se eu acabei com as expectativas de alguém que leu este blog e queria muito ler Nick e Norah. MIL DESCULPAS. A verdade é se vocês tiverem curiosidade de ler o livro, leiam-no como quem ler uma bula de remédio: não esperem por grandes emoções!
PS: Há também o filme baseado neste livro. Então, cruze os dedos e me desejem boa sorte!hehehe

quarta-feira, 13 de abril de 2011

A Última Música



Eu poderia convencê-los a ler "A Última Música" com uma única frase: este é um livro de Nicholas Sparks. Mas eu vou além. "A Última Música" narra o verão de Verônica Miller e seu irmão Jonah na casa do pai.

Ronnie é uma adolescente que não aceita bem a separação dos pais e portanto, não tem uma boa relação com eles, especialmente com o pai. Na tentativa de aproximar pai e filhos, a mãe de Ronnie a leva com o irmão para a casa de praia do ex-marido (um excepcional pianista que está trabalhando em uma nova música e em um vitral para uma igreja que foi destruída em um incêndio), na Carolina do Norte.

Mas Ronnie não consegue conviver com o pai e ameaça voltar para Nova York antes do fim do verão. O que Ronnie não espera é se apaixonar pelo encantador Will, o garoto mais popular da cidade que consegue amolecer seu coração duro.

Então começam as aventuras (ou desventuras) do livro, que proporcionam ao leitor várias emoções como, por exemplo, surpresa, alegria, raiva, tristeza... "A Última Música" é uma história de amor, perdão, relações familiares, perdas e até críticas sociais! Enfim, vale muito a pena ler esse livro! Eu recomendo.

PS: Não esqueçam que existe o filme baseado neste livro, estrelado por ninguém menos que Miley Cyrus!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Água para Elefantes - Trailer



video



Pessoal, esse video é o trailer do livro que eu comentei que , como vocês podem ver, vai estar em breve nos cinemas. Curtam bastante! =D



PS: Créditos ao canal do Youtube xcinevideo !!

Água para Elefantes



Acabei de ler “Água para Elefantes” e me pergunto “O que falar sobre este livro?”; com certeza ele entrou para a lista dos meus preferidos.

“Água para Elefantes” é uma história narrada por um senhor de 90 anos (ou 93. Nem ele próprio sabe dizer ao certo!) sobre a sua vida. O enredo se inicia enquanto o jovem Jacob Jankowski estuda veterinária na faculdade de Cornell e é surpreendido pela morte de seus pais. Em total desespero, ele foge e acaba pulando em um trem em movimento - o trem de um circo, onde acontecem as tramas do livro.

O circo Irmãos Benzini, o Maior Espetáculo da Terra, dá a Jacob seus dois grandes amores: Marlena, a garota do número de cavalos e Rosie, uma elefanta adorável que só entende polonês.

Apesar das cenas chocantes e um vocabulário um tanto “popular” (para não dizer sujo), o amor singelo e comportado de Jacob e Marlena faz desse livro uma maravilhosa obra sobre amor e perdas, além de proporcionar boas risadas. Sara Gruen fez um excelente trabalho e eu recomendo. Espero que gostem!

domingo, 10 de abril de 2011

Fazendo meu Filme (1,2 e 3!)

Li essa série recentemente e amei! Fazendo meu filme é um livro que fala sobre vida de uma garota amante de Cinema, mas que tem uma mãe que quer que ela se forme em Direito. Fani tem uma vida normal até que descobre que seu melhor amigo, Leonardo, sempre quis ser mais que isso. Quando, então, ela admite que o sentimento de Leo possa ser recíproco, sua vida é tomada por uma série de desencontros como, por exemplo, o fato de que Fani está de partida para fazer intercâmbio na Inglaterra! Os livros seguintes são uma compilação de aventuras, surpresas, diversão, cenas fofas de amor e uma lista imensa de filmes aos quais todas as garotas da Terra devem assistir! A escritora Paula Pimenta conseguiu, de forma clara e divertida, levar ao papel grande parte das inseguranças e dúvidas dos adolescentes bem como prender a atenção do leitor até a última folha. Mas, aos que acham que três livros são insuficientes, aguardem o quarto livro da série que, ao que tudo indica, será lançado no final deste ano. Então, leiam, divirtam-se e comentem esse post. =D